Ecléctica Leilões

Voltar

27 de Fevereiro

VICENTE (Gil). OBRAS Completas de Gil Vicente. Lisboa. 1928

Lote:
273.019(50-144)
Leilão:
W273
Estado:
Terminado
Nº de Licitações:
27

Descrição

VICENTE (Gil).
OBRAS Completas de Gil Vicente. Reimpressão facsimilada da edição de 1562. Coleção “Publicacões da Biblioteca Nacional. Reimpressões.”, III.
Lisboa: Oficinas Gráficas da Biblioteca Nacional, 1928.
(8), CCLXII f.; 310 mm. Encadernação inteira de pele com ferros a seco nas pastas; lombada ricamente decorada com ferros de motivos florais e títulos a ouro; conserva as capas de brochura.
Apreciadíssima edição fac-similada da edição "Princeps", hoje pouco vulgar e muito apreciada, das “Obras completas de Gil Vicente” de 1562. Gil Vicente é a figura maior do teatro português e ocupa um lugar fundacional na dramaturgia ibérica. O dramaturgo escreveu para a corte portuguesa dos reinados de D. Manuel I e D. João III, num contexto literário de trânsito para a modernidade, deixando-nos uma obra empenhada na renovação das formas dramáticas medievais de cunho popular, religioso e cortesão. Esta “Copilaçam” de 1562, organizada pelos filhos Luís e Paula Vicente, constitui a primeira edição da obra completa de Gil Vicente, reunindo nela os diferentes géneros que cultivou, tanto de carácter devoto como de índole profana. De 1502, data da representação do Monólogo do Vaqueiro ou Auto da Visitação, até 1536, ano da Floresta de Enganos, o dramaturgo português averbou 44 peças, das quais 15 são em língua portuguesa, 11 em castelhano e as restantes 18 em ambos os idiomas. Gil Vicente é a figura maior do teatro português e ocupa um lugar fundacional na dramaturgia do sistema interliterário da Península Ibérica, onde ombreia com nomes tão importantes como Juan del Encina ou Lucas Fernández. São muitas as incógnitas referentes à sua biografia. Nasceu provavelmente por volta de 1465, tendo vindo a falecer em data próxima a 1536, ao que tudo indica na cidade de Évora. A atividade dramatúrgica de Gil Vicente foi desenvolvida no âmbito da corte portuguesa, abrangendo os reinados de D. Manuel I e D. João III. Deixou-nos, por conseguinte, uma produção teatral permeada por modelos mentais em trânsito para a modernidade, uma obra empenhada na renovação das formas dramáticas medievais de cunho popular, religioso e cortesão. A Copilaçam de 1562, organizada pelos filhos Luís e Paula Vicente, constitui a primeira edição da obra completa de Gil Vicente, reunindo nela os diferentes géneros que cultivou, tanto de carácter devoto (milagres, mistérios ou moralidades), como de índole profana (comédias, farsas ou tragicomédias). De 1502, data da representação do Monólogo do Vaqueiro ou Auto da Visitação, até 1536, ano da Floresta de Enganos, o dramaturgo português averbou 44 peças, das quais 15 são em língua portuguesa, 11 em castelhano e as restantes 18 em ambos os idiomas.

 


Todas as informações contidas no site ECLÉCTICA LEILÕES® são sua propriedade exclusiva e não podem ser reproduzidas sem autorização prévia


A Carregar Informação